4 Redes sociais com mais de 400 milhões de utilizadores que você desconhece

PplWare ·
Vítor M. · Agosto 10, 2018
Os utilizadores ativos nas redes sociais já representam 42% da população mundial, segundo um relatório publicado em janeiro deste ano pela We Are Social e Hootsuite. Especificamente, 3.196 milhões de pessoas fazem parte de pelo menos uma dessas comunidades online, o que representa quase 80% dos 4.021 milhões de utilizadores da Internet no planeta.
Mas sabia que há 4 redes com mais de 400 milhões de utilizadores que em Portugal praticamente passam despercebidas?

A força das redes sociais no mundo

Quando falamos em redes sociais não há como fugir da realidade, do domínio que pertence ao Facebook com mais de 2.200 milhões de utilizadores ativos por mês. Segundo dados do Statista, a rede de Zuckerberg é seguida pelo YouTube (1.900 milhões), WhatsApp (1.500 milhões), Facebook Messenger (1.300 milhões), WeChat (1.040) e Instagram (1.000 milhões).
Até aqui não há surpresas verdade? Contudo, deverá o nosso leitor estar à espera que venham agora outras como o Twitter, Skype, LinkedIn, Snapchat, Pinterest ou telegrama, verdade? NÃO!
A verdade é que a seguir aparecem a QQ, QZone, douyin / TikTok e Sina Weibo, todas as redes são chinesas e são de imenso sucesso ao nível mundial, uma vez que congrega só na Ásia-Pacífico 55,6% de utilizadores de todas as redes sociais do mundo. Mas vamos a números para lhe mostrar como o mundo irá ser dominado depois do Facebook.

QQ: 806 milhões de utilizadores

1.040 milhões de utilizadores ativos mensais, o WeChat é o mais popular em todo o mundo, apesar das suas questões políticas chinesas controversas, com algumas medidas de censura dentro da rede social e outras questões relacionadas à privacidade e proteção de dados.
O seu criador, o grupo Tencent, tem outras propostas de sucesso entre a comunidade da Internet. Um deles é QQ, que atualmente reúne cerca de 806 milhões de utilizadores a cada mês e o seu lançamento remonta a fevereiro de 1999, quando foi apresentado sob o nome OICQ como um serviço de mensagens instantâneas semelhante ao então líder de mercado, o ICQ AOL. Posteriormente, foi renomeado QQ e, em 2009, reforçou a sua camada social, quando adicionou um nível mais elevado de interação entre os seus utilizadores.
Não deixa de ter uma mancha negra na sua história. Em 2013, quer o WeChat como o QQ foram nomeados pelos Repórteres Sem Fronteiras no seu relatório Inimigos da Internet, que reúne exemplos de sites onde os utilizadores têm a “liberdade comprometida” por causa da vigilância de várias autoridades.

QZone: 563 milhões de utilizadores

A empresa Tencent tem mais projetos, como, por exemplo o QZone. Esta rede social, criada em 2005, conta hoje com 563 milhões de utilizadores ativos mensais, o que lhe confere o oitavo lugar no ranking elaborado pela Statista. É uma plataforma para partilhar mensagens de texto, fotos e vídeos, mas ao contrário WeChat e QQ está disponível apenas em chinês.
Outra particularidade do QZone é que esta rede está ligada à QQ, tal como acontece com o Facebook e o Messenger. Para que a rede social QQ tenha um serviço de mensagens instantâneas recorre ao QZone.
Segundo dados da Tencent, essa rede social alcançou até 650 milhões de fotos num único dia.

Douyin / TikTok: 500 milhões de utilizadores

Conhecida na China como Douyin e fora desse país como TikTok, esta aplicação é a mais descarregada atualmente no mundo. Lançada em setembro de 2016, a app permite que o utilizador crie música e vídeos de 15 segundos, conteúdos que podem ser enriquecidos com efeitos visuais. Depois o intuito é o conteúdo divertido ser partilhado com outros utilizadores dentro desta rede.
Esta rede de partilhas de conteúdos conta já com cerca de 500 milhões por mês. Por trás desta app está o grupo Bytedance, que no mês de novembro passado comprou uma app muito semelhante, o Musical.ly, que precisamente acaba de ser absorvida pela Douyin.
A Bytedance também é a responsável pelo Toutiau, um serviço de notícias que personaliza o conteúdo através da tecnologia de aprendizagem automática e foi avaliado em 20 milhões de dólares.

Sina Weibo: 411 milhões de utilizadores

O Twitter foi bloqueado na China após os tumultos violentos na região de Urumqui em julho de 2009. Como alternativa à popular rede de microblogs, em agosto do mesmo ano a empresa Sina, dona de uma rede de blogs, lançou o Weibo, uma plataforma que ao longo dos anos vem adquirindo novas funcionalidades e hoje é uma mistura entre Twitter e Facebook com 411 milhões de utilizadores ativos mensais.
De acordo com a Statista, abaixo destes quatro redes sociais chinesas estão o Twitter (336 milhões de utilizadores ativos por mês), Reddit (330 milhões), Baidu Tieba (300 milhões), Skype (300 milhões), LinkedIn (294 milhões), Viber (260 milhões), Snapchat (255 milhões), Line (203 milhões), Pinterest (200 milhões) e Telegram (200 milhões).

Em resumo…

Se acha que o Facebook é um monstro, saiba que se um dia as redes chinesas se expandirem para o ocidente, provavelmente irão conquistar o mundo dada a sua dimensão e número de funcionalidades.