Brisa marinha pode carregar partículas de poluição fatais


Yahoo Notícias – qui, 26 de nov de 2015

Um passeio revigorante à beira mar sentindo o ar fresco da praia pode parecer algo delicioso e costumava ser também bastante benéfico para a saúde. No entanto, um novo estudo sugere que a refrescante brisa marinha, hoje, pode fazer muito mais mal do que bem, dependendo da região em que se caminha.
Uma pesquisa ao longo de áreas costeiras da Inglaterra foi realizada por cientistas para uma revista especializada em oceanografia e descobriu os malefícios deste hábito. Foram encontrados altos níveis de nanopartículas perigosas "que podem penetrar nos pulmões e causar doenças do coração, além de muitas outras". De acordo com as informações, a parte sul do país é a que sofre mais por conter maior quantidade de poluição vinda de ventos do sudeste que são provenientes do continente europeu.



Uma análise dessas partículas de poluição relatou que pelo menos metade da sujeira é proveniente de combustível de navios, assim como de carros, caminhões e outros veículos terrestres. De balsas a barcos de pesca, de cargueiros a iates, todas as embarcações representam risco e emitem para a costa parte da poluição que, por ser composta por pequenas partículas, é facilmente inalada.



O estudo foi realizado pela Universidade de Lund, na Suécia. “Esta é a primeira vez que conseguimos estimar a quantidade de nanopartículas que são carregadas pelo tráfego marinho”, comentou um dos responsáveis, Adam Kristensson. De acordo com ele, a poluição do mar do Norte e do Báltico são responsáveis por cerca de 10 mil mortes prematuras por ano.
Realmente, a pesquisa deve ter chocado muitos europeus, que já não tem a sorte de terem as mais belas praias do mundo. O que resta a nós, brasileiros é pensar em proteger cada vez mais a nossa costa para evitar que o nível de poluição chegue a números muito altos e nós também sejamos prejudicados com uma simples caminhada na praia.

Fonte :