7 lotes de Azeites estão fora do mercado

A PROTESTE avaliou em laboratório mais de 60 marcas de azeite.
O teste, que pode ser consultado aqui, encontrou bons produtos, mas também identificou sete marcas com sinais de adulteração.

Por isso, além de informar as inconformidades ao Ministério da Agricultura, Anvisa, Secretaria Nacional do Consumidor e diversas associações, fomos à Justiça pedindo que os lotes fraudados fossem imediatamente retirados do mercado.
A boa notícia é que na última terça-feira, 21, somamos 100% das liminares favorável para as ações judiciais ingressadas!
Com isso, os lotes das seguintes marcas não podem mais ser vendidos:
• Casalberto – lotes ZI09E01

• Faisão Real – lote 001
 Barcelona – lote 2275/18
• Borgel – lote 006
• Porto Valência – lote ZP32V18
• Olivenza – lote 09973
 Do Chefe – lote 0001

Todas elas apresentaram indícios da adição de outros óleos vegetais.
Por isso, como estavam adulteradas foram desclassificadas em nosso teste, ou seja, não podem ser consideradas azeites de oliva extravirgem.
As penas em caso de descumprimento da decisão judicial pelos fabricantes são multas diárias, que variam entre R$ 1 mil e R$ 50 mil, dependendo da marca.

Qual é o direito do consumidor?

Os consumidores que compraram os azeites reprovados têm o direito de solicitar ao fornecedor o seu dinheiro de volta.
Produtos brasileiros surpreendem pela qualidade
Além do Melhor do Teste, há outros três azeites brasileiros entre os 10 primeiros colocados, confirmando a qualidade dos produtos nacionais.